Selecione Layout

Padrão de fundo

  • #
  • #
  • #
  • #
  • #
  • #
  • #
  • #

Cor

#

Dia 14 de junho vamos fazer uma greve geral

Por: Imprensa12/06/19 10:35

Várias categorias já confirmaram adesão para reagir ao desmonte na Previdência e exigir aposentadoria e educação dignas

Nesta sexta, 14 de junho, é dia de greve geral no País. Os brasileiros vão cruzar os braços contra a reforma da Previdência, por aposentadoria e educação dignas. É, na verdade, um grande protesto aos retrocessos que vêm acontecendo todos os dias, pautado por uma política de governo que quer a privatização a todo custo (como na capitalização das aposentadorias) e estabelece cortes em setores prioritários (caso da Educação), sem se importar com as demandas dos trabalhadores e sociedade.

A greve está sendo organizada pelas centrais sindicais e já conta com adesão de várias categorias. Motoristas, metroviários e ferroviários confirmaram que as categorias vão parar durante 24 horas em São Paulo. Apenas esses três modais somam perto de 18 milhões de passageiros por dia. Outras capitais e regiões também participarão. Bancários, metalúrgicos, trabalhadores da educação (e estudantes), da saúde, de água e esgoto, dos Correios, da Justiça Federal, químicos e rurais, portuários, agricultores familiares, caminhoneiros, eletricitários, urbanitários, vigilantes, servidores públicos estaduais e federais, petroleiros, enfermeiros e previdenciários devem integrar a paralisação nacional.

“A greve é um alerta, um recado dos trabalhadores brasileiros ao governo para que compreenda que não vamos assistir ao desmonte do País em nome do mercado financeiro sem resistência. Por isso é muito importante que todos participem, que deixem claro que nossa prioridade é a manutenção de direitos e um país pautado pelo cuidado com a educação, saúde, geração de empregos”, destaca a coordenadora do Comitê Nacional em Defesa das Empresas Públicas, Rita Serrano, que também representa os empregados no Conselho de Administração da Caixa.
A orientação das centrais é que os trabalhadores permaneçam em suas casas na sexta-feira, para evitar qualquer tipo de tumulto. Confira abaixo a programação nos estados estabelecida até esta quarta, 12.

Manifestações pelo País

Acre

A mobilização com piquete no local de trabalho de algumas categorias está programada para começar às 7h da manhã. Depois, será realizado um ato na Praça da Revolução, no centro de Rio Branco, às 10h, de onde sairá um cortejo em defesa da Previdência pública e solidária e da educação pública e mais empregos. À noite, no Cine Recreio tem noite cultural e show na Gameleira.

Alagoas

O ato político terá concentração às 15h na Praça do Centenário, uma das principais de Maceió. Os alagoanos e as alagoanas também vão se manifestar contra a intenção do governo Bolsonaro de privatizar o setor de saneamento básico no país, o que inclui a distribuição de água à população.

Amapá

Às 8h, várias categorias darão início à paralisação e às 15h haverá ato “Lula Livre” na Praça da Bandeira, em Macapá.

Amazonas

O ato será às 15h, na Praça da Saudade em Manaus.

Bahia

O ato político será às 14 horas na Rótula do Abacaxi, na capital baiana. Também haverá mobilização em outros municípios como, Serrinha, Camaçari, Juazeiro e Porto Seguro.

Brasília

Os cerca de 12 mil rodoviários, condutores e cobradores aprovaram em assembleia na sexta, 7, a participação na greve geral e cruzarão os braços por 24 horas.

Ceará

Em Fortaleza, além das paralisações previstas, acontecerá a Marcha Estadual da Classe Trabalhadora contra a Destruição da Previdência na Praça da Bandeira, no Centro, a partir das 10h30.

Goiás

O ato político será às 10h na Praça Cívica, em Goiânia.

Mato Grosso

A concentração do protesto será na Praça Ipiranga, em Cuiabá, às 14h

Mato Grosso do Sul

Em Campo Grande com concentração às 9h na Praça do Rádio Clube

Minas Gerais

O ato unificado da CUT e demais centrais e sindicatos será às 11h, com concentração na Praça Afonso Arinos, em Belo Horizonte.

No Vale do Aço, a concentração será na Praça Domingos Silvério, conhecida como Praça dos Aposentados, às 14h. Em seguida terá caminhada pelas avenidas Getúlio Vargas e Wilson Alvarenga seguida de ato político em frente ao INSS.

Pará

O ato será às 10h na Praça da República

Pernambuco

O ato será no cruzamento da Rua do Sol com Rua Guararapes, no Centro do Recife, às 14h.

Piauí

O ato político está marcado para 8h na Praça Rio Branco.

Rio de Janeiro

Ato a partir das 15h na Candelária e caminhada para a Central do Brasil.

Rio Grande do Norte

Em Natal, o ato político será na calçada do Midway às 15h. Termina com um show político cultural na praça de Mirassol.
Rio Grande do Sul

A concentração do ato político será às 17h, seguida de ato, às 18h, na Esquina Democrática, no centro de Porto Alegre.

Rondônia

O ato político será a partir das 8h, na Praça das 3 Caixas d’Água

Roraima

O ato da capital será às 15h, com passeata até a Praça do Centro Cívico

Santa Catarina

Ato em Joinville será a partir das 9h, na Praça da Bandeira.

São Paulo

O ato político será na Avenida Paulista, no vão livre do Masp, a partir das 16h. Uma caminhada até a Praça da República está para ser confirmada.

Sergipe

Em Aracaju, vários protestos serão realizados desde a madrugada e também no turno da manhã. À tarde, a partir das 15h, na Praça General Valadão.

Tocantins

Em Palmas, a partir das 8h, na Avenida JK, próximo ao Colégio São Francisco.

Entre em

Contato