Selecione Layout

Padrão de fundo

  • #
  • #
  • #
  • #
  • #
  • #
  • #
  • #

Cor

#

Rita Serrano aborda privatizações em análise da semana na TVT

Por: Imprensa17/08/20 20:31

MP relativa à Caixa e vendas na Eletrobras e Petrobras estiveram entre os temas

A MP 995, que facilita a privatização da Caixa via subsidiárias, a venda da Petrobras a partir de suas operações e as investidas privatistas no setor elétrico do País foram alguns dos temas abordados pela coordenadora do Comitê Nacional em Defesa das Empresas Públicas, Rita Serrano, durante o programa Análise de Notícias da Semana, apresentado pela TVT neste domingo, 16.

A representante do comitê lembrou que o Brasil anda na contramão do mundo e citou estudo da TNI (Transnational Institute, sediado na Holanda) que mostra que 1.408 empresas públicas foram reestatizadas ou criadas nos últimos anos, sendo 141 nos EUA.

Assista em

https://www.youtube.com/playlist?list=PLPVWlSy7N7v-Saeup8PfvhgUSkqRntrCQ

Denúncia – Também neste domingo, 16, foi divulgada a denúncia feita pelo Sindicato dos Engenheiros do Rio Grande do Sul (Senge-RS) sobre a venda do controle do Complexo Eólico Campos Neutrais da Eletrobras. Nele foram investidos R$ 3,1 bilhões, mas a venda ocorreu por R$ 500 milhões à empresa Omega Energia, valor que corresponde a 17% do gasto de construção da usina, que fica no extremo sul do Brasil, na região de fronteira com o Uruguai.

 

 

O complexo obteve, em 2017, lucro líquido de R$ 345 milhões. Considerado o maior complexo eólico da América Latina, Campos Neutrais foi inaugurado em 2011 e tem parques eólicos instalados nos municípios de Santa Vitória do Palmar e Chuí. No total, são 583 MW de capacidade instalada.

 

 

O Senge-RS critica ainda o fato de a negociação ter ocorrido em plena pandemia do novo coronavírus, sem debate com a sociedade. Segundo o diretor do Senge, Luiz Alberto Schreiner, a empresa não tinha a necessária autorização do Legislativo para realizar a venda, uma vez que a lei 10.848/2004 contém exclusão expressa da Eletrosul do Plano Nacional de Desestatização e a Medida Provisória 814/2017 que permitiria a privatização da Eletrobras foi derrotada.

 

 

A venda vai ao encontro do projeto de privatização da Eletrobras, iniciado por Michel Temer (MDB) e encampado governo de Jair Bolsonaro (sem partido). A expectativa do mercado financeiro é de que a venda da estatal responsável pela energia elétrica brasileira gere entre R$ 12 bilhões e R$ 16 bilhões aos cofres públicos. Nos últimos dois anos, a empresa lucrou R$ 24 bilhões. Apenas no segundo trimestre de 2020 o lucro atingiu R$ 4,6 bilhões.

 

Entre em

Contato