Selecione Layout

Padrão de fundo

  • #
  • #
  • #
  • #
  • #
  • #
  • #
  • #

Cor

#

Em defesa da Eletrobras pública, movimentos popular e sindical realizam ato nesta manhã em Brasília

Por: Imprensa21/03/18 07:24

Representantes dos movimentos popular e sindicalista se unem na manhã desta quarta, 21, na sede da Eletrobras, em Brasília, na luta contra a privatização da maior estatal elétrica da América Latina


Representantes dos movimentos popular e sindicalista se unem na manhã desta quarta, 21, na sede da Eletrobras, em Brasília, na luta contra a privatização da maior estatal elétrica da América Latina, na defesa da segurança energética, da soberania nacional e das águas. Os movimentos sociais estão participando do Fórum Alternativo Mundial da Água (Fama) na capital e se somam à manifestação pela empresa pública por entender que a política de privatização de Temer coloca em risco o bem estar social que a energia elétrica propicia.


Responsável por mais da metade da energia elétrica consumida no país, a Eletrobras controla 47 hidrelétricas, 114 térmicas (energia gerada a partir da queima de carvão, gás ou óleo), 69 eólicas e distribuidoras de energia de seis estados: Acre, Alagoas, Amazonas, Piauí, Rondônia e Roraima.  Pelo projeto de desestatização do governo golpista de Michel Temer a energia deixa de ser considera como um bem social, transformando-se unicamente em mercadoria e dependente das oscilações pela perspectiva do lucro. A privatização restringe o acesso à energia pela população de menor renda, porque aumenta o valor das contas e extingue a tarifa social, que garante descontos e beneficia mais de 8 milhões de lares brasileiros.

Privatizar a Eletrobras significa, também, a perda da gestão sobre a vazão de rios, o que envolve a gestão do uso múltiplo das águas, como uso social, irrigação e navegação. 

Assista, no link, vídeo com a manifestação desta manhã.


https://www.facebook.com/sindicato.urbanitarios/videos/2081521271877956/

Entre em

Contato